Arouca Geopark doou exemplares de pedras parideiras a 10 unidades museológicas portuguesas

No dia em que a Casa das Pedras Parideiras comemorou 10 anos de funcionamento, a AGA-Associação Geoparque Arouca doou dez nódulos de Pedra Parideira a dez unidades museológicas nacionais.

Este ato pretendeu estimular o “conhecimento, investigação, preservação, valorização e promoção” deste património geológico reconhecido pela Unesco como geossítio de relevância internacional, devido ao seu valor científico, educativo e cultural.

A Casa dos Fósseis-Geopark Naturtejo, Sala dos Minérios-Geopark Terras de Cavaleiros, Centro de Interpretação do Aspiring Geoparque Oeste, Centro de Interpretação Científico e Ambiental das Grutas da Moeda, Museu Municipal de Sever do Vouga, Museu Nacional de História Natural e da Ciência da Universidade de Lisboa, Museu de História Natural e Ciência da Universidade do Porto, Museu da Ciência da Universidade de Coimbra, Museu de Geologia Fernando Real – Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro e o Museu das Trilobites foram as unidades museológicas contempladas com os exemplares.

Margarida Belém, presidente da câmara Municipal de Arouca e da direção da AGA-Associação Geopark Arouca, Daniela Rocha-coordenadora executiva da AGA, vários representantes das unidades museológicas, assim como a comunidade da aldeia da castanheira estiveram presentes no momento da entrega.

A presidente de câmara adiantou que “com esta oferta a dez museus nacionais, queremos reforçar o trabalho de divulgação e valorização que a Casa das Pedras Parideiras tem feito ao longo dos últimos dez anos”, reforçando que “esta Casa é muito mais do que um centro de interpretação, é um espaço de combate ao isolamento social das gentes que habitam a aldeia da Castanheira”.

A Casa das Pedras Parideiras abriu ao público no dia 3 de novembro de 2012 e, desde então, recebeu mais de 270 mil visitantes, desde estudantes, investigadores, e público em geral.

© 2024 Todos os direitos reservados

Desenvolvido por [+|-] Enérgica