Cooperativa Agrícola de Arouca comemorou 80 anos

No passado dia 31 de março, a Cooperativa Agrícola de Arouca comemorou 80 anos de existência. Em declarações ao DD, Joaquim Reis, Presidente da Direção da Instituição, salientou que é com “grande orgulho e satisfação” que comemoraram este aniversário.

“Ao longos destas 8 décadas de serviço, a Cooperativa tem sido um pilar na comunidade agrícola da região, pois tem desempenhado um papel vital de apoio aos agricultores e produtores locais”, revelou. Além disto, o dirigente acredita que neste “marco tão significativo é tempo de introspeção”, não se tratando “do passado destes 80 anos”, mas “sobre o futuro dos próximos”, relembrando “os desafios e dificuldades já ultrapassados nas últimas décadas”, e “mais ainda dos que se avizinham”.

Joaquim Reis acredita que é olhando para o futuro que renovarão o seu “compromisso para com os cooperadores”, de continuarem a “servir os seus interesses, ajudando-os da melhor maneira possível, assim como tem sido ao longo de oito décadas”.

Paralelamente o responsável revela estarem “cientes das dificuldades que enfrentam”, mas também “confiantes” de que com “determinação e união” vão estar prontos para enfrentar essas dificuldades, e construir um futuro “mais promissor”. Nesta altura, que caracterizou como “de celebração”, aproveitou ainda para “em nome da CAA” expressar “a mais profunda gratidão a todos os cooperantes, parceiros, colaboradores”, e a todos “os que de alguma forma” contribuíram e “continuam a contribuir” para chegarem “ainda mais longe”.

“O nosso progresso e estes 80 anos, são resultado de trabalho árduo, dedicação e espírito de cooperativismo de cada indivíduo que já fez e faz parte da “família” da Cooperativa Agrícola de Arouca.  A todos, muito obrigado!”, finalizou Joaquim Reis.

 

História da Instituição

A história da Cooperativa de Arouca começa no Grémio da Lavoura de Arouca, criado em 1942, com a sua primeira direção, presidida pelo Dr. Arnaldo Angelo de Brito Lhamas, substituído por António de Almeida Brandão em 1946, que assumiu a sua gerência desde o início e só abandonou, por motivos de saúde, em 1965.

Nessa altura, os produtores de Arouca encontravam-se na área de abastecimento da Lacto-Lusa, subjugados às políticas arbitrárias da empresa. Este cenário resultou em inúmeras queixas, uma vez que os produtores recebiam preços ditados pelo industrial e sofriam com inspeções autoritárias.

Perante a situação, o Grémio da Lavoura de Arouca pediu autorização para fundar uma cooperativa de lacticínios, que só foi autorizada após demoradas e repetidas diligências.

Assim, a 30 de março de 1944 foi lavrada, no salão nobre dos Paços do Concelho, a escritura da criação da Cooperativa Agrícola dos Produtores de Lacticínios de Arouca, com sede na freguesia de Rossas, mas, só em 1953, foi possível anunciar aos agricultores que a Cooperativa podia iniciar a atividade. Isto após um grande esforço e resiliência por parte dos responsáveis, devido às dificuldades burocráticas exigidas pela Direção Geral dos Serviços Pecuários, e da Junta Nacional dos Serviços Pecuários, dependentes do Ministério da Economia.

Fotos: Carlos Pinho

*Artigo completo na última edição impressa, já nas bancas;

© 2024 Todos os direitos reservados

Desenvolvido por [+|-] Enérgica